Socialista Morena
Direitos Humanos, Maconha

Os atletas de Jah

Não tem os atletas de Cristo? Pois então, tem os atletas de Jah também, mas estes você não fica sabendo. Os atletas de Jah, como o nome já diz, são esportistas que usam maconha de forma recreativa, o que agora é permitido fora das competições. Em maio de 2013, a WADA, entidade que trata do […]

Cynara Menezes
18 de setembro de 2013, 15h06

(O campeão olímpico Michael Phelps dá um pega num bong)

Não tem os atletas de Cristo? Pois então, tem os atletas de Jah também, mas estes você não fica sabendo. Os atletas de Jah, como o nome já diz, são esportistas que usam maconha de forma recreativa, o que agora é permitido fora das competições. Em maio de 2013, a WADA, entidade que trata do uso de drogas nas Olimpíadas, flexibilizou o uso de maconha entre os atletas: a quantidade tolerada de maconha no organismo passou de 15 nanogramas por mililitro para 150 ng/ml. Isto significa que encontrar traços de maconha no organismo dos competidores deixou de ser considerado doping. O atleta só corre o risco de perder a medalha se for comprovado que fumou a erva para competir, e não antes ou depois. Ou seja, fora de competição, a maconha não é proibida.

A notícia é uma boa nova para atletas como o canadense Ross Rebagliati, medalha de ouro em snowboarding nos Jogos Olímpicos de Inverno de 1998 em Nagano, no Japão. Flagrado com maconha no sangue no anti-doping, Rebagliati por pouco não perdeu a sua medalha. Mas, após confessar ter fumado baseado e pedir desculpas, o atleta manteve a vitória. Hoje, aos 42 anos, o canadense resolveu se dedicar ao plantio de maconha para uso medicinal e abriu sua própria loja de cannabis, com o sugestivo nome de Ross’s Gold. Quando o nadador Michael Phelps foi flagrado fumando maconha, Rebagliati saiu em defesa do colega dizendo: “Ei, isso tem zero caloria, é totalmente diet!”

(O ouro de Ross)

Assim como Phelps ou Rebagliati, muitos outros atletas foram relacionados ao uso recreativo de maconha. Cientificamente, é uma tolice associá-la ao doping, porque reduz a coordenação motora e os reflexos; prejudica a concentração e a noção de tempo; e reduz a capacidade máxima de exercício, resultando em aumento da fadiga. Quer dizer, não melhora em nada o desempenho, embora, com a legalização nos EUA, comecem a aparecer depoimentos de atletas amadores sobre as vantagens de usar maconha antes de praticar exercícios ao ar livre, como andar, escalar ou nadar. Em termos competitivos, porém, a maconha seria tipo um doping ao contrário.

No Brasil, nomes como Giba e Estefânia, do vôlei, foram flagrados com traços de maconha no anti-doping. No futebol, Jardel, Renato Silva e André Neles. E o que dizer deste vídeo de Ronaldo Fenômeno?

Nos últimos tempos, vários lutadores do UFC têm testado positivo para maconha no anti-doping. Em fevereiro de 2012, o norte-americano Nick Diaz foi suspenso dos ringues por um ano ao ser flagrado com a erva no organismo pela segunda vez, mas parece não se importar com as críticas. Tanto é que, logo após a suspensão, postou uma foto nas redes sociais com um envelope contendo maconha e seu nome escrito. O lutador afirma, com razão, que em seu Estado natal, a Califórnia, o uso medicinal da maconha é permitido. Mas qual é exatamente a “doença” de Nick? Talvez stress.

Após uma lutadora ser flagrada no anti-doping por maconha, a campeã de MMA Ronda Rousey protestou contra o exame, que considera invasão de privacidade. “Honestamente, a maconha não melhora a performance de jeito nenhum. Somos testados para isso por razões inteiramente políticas. Estamos sendo testados sobre algo que não tem nada a ver com a competição.”

(a erva medicinal de Nick Diaz)

Outro lutador flagrado com maconha no antidoping, o também norte-americano Matt Riddle, acabou demitido do UFC mesmo depois de quatro vitórias consecutivas. Mas o meio do UFC não é exatamente maconhofóbico. Ao contrário, vários lutadores opinam que a maconha deveria ser liberada. O executivo do UFC Marc Ratner defende que os atletas usuários de maconha deveriam ter um tratamento diferente dos flagrados por uso de esteróides. Claro. “A maconha vai se tornar cada vez mais e mais problema dos lutadores e seus metabolismos”, defende.

No surfe existe tolerância tanto à presença de maconha quanto de cocaína, drogas consideradas “recreativas” e que não terão influência no desempenho dos atletas. “O surfe é muito mais uma harmonia com o mar, uma soltura nas ondas, mais do que a determinação física. Eu acho que, se você faz por drogas de lazer é irresponsabilidade, e se você faz por drogas de performance é desnecessário”, opinou o campeão Teco Padaratz (leia mais aqui).

Para mim, a maior vantagem de saber que atletas de sucesso fumam maconha é pôr fim à hipocrisia geral em relação à erva. Em geral, o fumante de maconha é associado à preguiça, à vagabundagem, à indolência. Mas se até campeões olímpicos usam e isso não os prejudica, cada vez faz menos sentido a proibição.

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(35) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Rodrigo Monteiro em 18/09/2013 - 15h18 comentou:

Excelente texto.
Como você citou, não faz sentido a maconha ser considerada dopping, já que o único resultado que ela pode trazer para o atleta durante a competição é negativo.
A maconha não trará vantagens fisicamente, a não ser deixar os atletas mais relaxados. Então, nunca entendi o porquê disto nas associações desportivas.

Abraços!

Responder

Humberto em 18/09/2013 - 15h50 comentou:

Plantar "maconha medicinal" é ótimo. Não existe "maconha medicinal", existe USO medicinal, não é isso?

Responder

    morenasol em 18/09/2013 - 16h23 comentou:

    corrigi, obrigada

    José em 18/09/2013 - 18h34 comentou:

    Existem "strains" que são direcionadas para o uso medicinal, enquanto outras são direcionadas para o uso recreativo, visto que possuem propriedades diferentes através de características como potência, efeitos, etc.

joão em 18/09/2013 - 20h50 comentou:

cade o baseado?

Responder

mineiro em 18/09/2013 - 21h11 comentou:

bom depois que liberarem a maconha aproveita para liberar a cocaina, o crack , a heroina e todos os tipos de drogas pesadas. e a populaçao vai agradecer por essa imbecilidade de liberalizaçao das drogas . a liberalizaçao das drogas vao deixar de fazer mal depois de liberada, os mega traficantes vao deixar de ganhar dinheiros por causa dessa maldita liberalizaçao. vao , acredita so se for idiota, e outra coisa esse negocio de liberar para uso medicinal é conversa fiada , isso é so uma manobra para liberar e tentar diminuir a violencia , coisa que eu acho que nunca vai acontecer. entao quem acredita nessa idiotice aproveita para fazer liberar todo o lixo de droga que existe entao.

Responder

    marcelo em 19/09/2013 - 02h52 comentou:

    parabéns, como podemos ver a imbecilidade desse grupo é imensa, se perguntarmos para esses que defende a liberação dessa droga se eles gostariam de ver seus filhos usando maconha ou outras drogas, a resposta seria não. esses idiotas não tem a menor noção do que é viver em sociedade só pensam neles não estão nem aí para o mundo que vai deixar para o próximo, é lamentável que grupos como esses só tem aumentado assim como o número de pessoas viciadas em crack.

    morenasol em 19/09/2013 - 13h29 comentou:

    marcelo, eu não me importaria que um filho meu fumasse maconha. muito menos perigoso do que sair por aí bêbado atropelando gente. com certeza com o álcool você não tem grilos, né?

    morenolua em 19/09/2013 - 14h03 comentou:

    Usando maconha seu guri estaria patrocinando o crime, por tabela certamente mataria muita gente. Neste país se escreve carta de apoio a Mensalista e reportagem a favor do uso de substâncias ilegais. Como cobrar que nossos governantes cumpram as leis se muitas vezes queremos agir na ilegalidade.

    Jackie Nine em 19/09/2013 - 17h13 comentou:

    Ilegal por ilegal, o álcool também já foi… E ao mesmo tempo a cocaína e o ópio já foram considerados remédios. Conformistas…

    Mariana em 19/09/2013 - 17h44 comentou:

    Sabia que você mesmo pode plantar em casa? Sem patrocinar crime nenhum! Eeee

    Helena em 19/09/2013 - 18h09 comentou:

    Vc tem filho?

    Demetrius em 19/09/2013 - 14h50 comentou:

    É marcelo, vai se informar além do que a TV fala pra você.
    Que tal tomarmos uma cervejinha pra discutir o assunto? Pode ser né?
    Aproveita e pede mais um copo pro seu filho, já que álcool não é droga.
    Abs.

    Seu burro em 19/09/2013 - 17h06 comentou:

    Cara , seu filho vai fumar maconha, FATO, sendo legal ou ilegal, so que se for ilegal, ele compra com bandido , que tambem assalta e vende crack, se for legal, ele compra na loja da esquina.

    Martinez em 20/09/2013 - 12h58 comentou:

    Marcelo, talvez seja tu quem não sabe o que é viver em sociedade. Afinal as drogas estão presentes na sociedade desde muito antes de voce e eu termos nascido, a gente querendo ou não fazer o uso delas. Se o acesso a elas é fácil, se a gente faz o uso só se quiser e com o fato de ser impossivel excluir elas da sociedade, o senhor não concorda que seria melhor que os governos oferecessem o melhor suporte possivel para que quem faz o uso tenha a sua saúde menos prejudicada? Além de diminuir a foça dos traficantes e afastar o usuario da violência do tráfico, a legalização das drogas trariam um grande lucro para o estado. Esse lucro viria desse investimento em saúde e dos impostos para comercialização (assim como cerveja e tabaco, por exemplo).

    Edu 420 em 19/09/2013 - 11h15 comentou:

    Caramba, como você é ignorante. Uso medicinal existe sim. Vai dizer que é idiotice pra uma criança com câncer que só deixa de sentir as náuseas causadas pela quimioterapia quando faz uso da erva. São infinitas as doenças que podem ser tratadas ou ter o sintomas amenizados com o uso da maconha. Você é apenas mais um viciado em remédios que financia a indústria farmacêutica. Além do uso medicinal existem inúmeras, inúmeras mesmo, coisas que podem ser feita com a fibra do canhamo. E só pra deixar claro: ninguém luta pela LIBERAÇÃO da maconha e sim pela REGULAMENTAÇÃO, LEGALIZAÇÃO. Se você não sabe a diferença, se informe um pouco mais.

    Fabio em 19/09/2013 - 12h53 comentou:

    Belíssima opinião. Muito bem embasada. Você acha e ponto. Quem discorda é imbecil. Meus parabéns!

    Fernando em 19/09/2013 - 13h04 comentou:

    caro mineiro, se a erva for legalizada, fume um pouquinho. tenha certeza que todo esse seu ódio no coração diminuirá.

Rodrigo Guerra em 19/09/2013 - 12h06 comentou:

Vejo artistas, jornalistas, escritores, atores, e agora atletas discutindo a questão das drogas. Sinto falta de Assistentes Sociais discutindo a questão. Pois estes é que seguram a bronca de quem cai na miséria relacionada às drogas. Penso que estes profissionais são os mais qualificados para lidar com o tema, especialmente os que trabalham no serviço público, pois o tema é ligado à saúde pública. E onde saúde entra, não vejo como válidos argumentos como o quanto de dinheiro o Estado vai ganhar. Foi através de uma apresentação de uma coordenadora de CAPS que fiquei sabendo que, em números, os maiores abusos de drogas são no tabaco e álcool, este último desencadeando muitos atos de violência. Crack estaria bem longe nas estatísticas… este fio deixo solto, acho que vc Cynara vai ligar os pontos. Procuro manter uma mente aberta, mas na questão de legalização, tenho consciência de que não tenho conhecimentos suficientes para me decidir (ou para decidir por outros). Abs, ótimo blog.

PS: Ó marcha implacável das sociedades humanas! Perda de homens e almas ao meio do caminho! Oceano onde some tudo o que a lei deixa cair! Sinistra inexistência de auxílios! Ó morte moral! O mar é a inexorável noite social onde as sentenças lançam seus condenados. O mar é a miséria incomensurável. A alma, à mercê da voragem*, pode transformar-se em cadáver. Quem a ressuscitará? Os Miseráveis, 1862 (Livro 2, Capítulo VIII – A onda e a sombra) Victor Hugo
*Voragem: perigo, abismo, precipício, inferno.

Responder

Helena em 19/09/2013 - 12h45 comentou:

Desculpe, mas sou totalmente contra. Acredito que o uso da maconha não deva ser tratado como algo normal e corriqueiro, muito menos quando estamos falando de atletas de elite. E não vem me falar em uso recreativo que isso me soa como brincadeira de criança. Não podemos esquecer os malefícios causados pelo uso da maconha, inclusive que ela causa dependência, sim, apesar de muitas pessoas acharem que não, além da perda de memória e outros problemas neurológicos e físicos, em função do uso prolongado. Não tenho formação na área da saúde, mas convivi com uma pessoa que faz uso da maconha a mais de 15 anos e vi o desespero pra comprar quando estava acabando e as muitas situações de perda de memória. Sem contar, tudo que deixava de fazer pq tinha q "fumar um" antes de sair, depois de comer, antes do banho, antes de dormir, enfim…
Sem mencionar que, comparar atletas de Cristo com atletas que fumam maconha é, no mínimo, ridículo.

Responder

    FERNANDO FEITOSA em 19/09/2013 - 15h15 comentou:

    Helena , a pessoa que voce conviveu agia na "má-fé" sartreana.

    Eu te perdoo em 19/09/2013 - 17h16 comentou:

    Ta desculpada pela estupidez Helena, mas não faça mas isso, trate de se informar, e estudar sobre o Assunto

    Bacellar em 20/09/2013 - 00h04 comentou:

    Ah legal. Já que você conheceu 1 pessoa, UM usuário com relação problemática com a substância, então tá falado. Mandem demolir todos os dispensários nos EUA, fechar os coffe shops na Holanda e dissolver o congresso Uruguaio pq certa tá vc filha…

Santana em 19/09/2013 - 17h09 comentou:

Peraí….Deixa eu ver se entendi.
Se "pessoas importantes" fumam maconha, eu também devo fumar porque é bom. É isso????
Bem, vou continuar achando que os viciados em maconha, cocaína, haxixe, heroína, etc., são todos uma mesma coisa: drogados que podem matar você e à sua família para satisfazer seu vício. Morte aos dependentes químicos.

Responder

    gvp em 19/09/2013 - 23h38 comentou:

    sua resposta é genial, matar as pessoas que você acha que podem matar! vamos matar todo mundo, é a solução mesmo, sugiro começar com você!

    Bacellar em 19/09/2013 - 23h47 comentou:

    Não cara. Você não entendeu.

Jackie Nine em 19/09/2013 - 17h17 comentou:

Adorei o texto, esse preconceito é uma questão de falta de informação mesmo… 99% das pessoas que falam mal, que acham que é coisa de bandido, que vc vai sair "matano e estrupano" na rua é porque NUNCA FUMOU e NÃO SABE o que é… Para todos os que deixam esses comentários comparando à outras drogas como o crack, cocaína e heroína, saibam que os danos causados pela maconha são muito menores do que os do álcool… Quer uma prova? Quantas pessoas você já viu morrerem de overdose de maconha? E de álcool?

Responder

Alexandre em 19/09/2013 - 18h09 comentou:

Muito bom o texto, a discussão é bastante oportuna. Estamos atrasados demais em relação a maconha, moro numa cidade que tem 3.000 habitantes, em sua maioria 3ª idade, moro há trinta e um anos aqui, a cada 5 pessoas que eu conheço, 3 usam maconha. Interessante associar atletas ao uso de maconha. Triste ainda ter pessoas que acham bacana empresas de bebidas e cigarros patrocinarem alguns esportes e maconha ser essa discussão tão século XX.

Responder

Bacellar em 19/09/2013 - 23h41 comentou:

Ih mas os Atletas de Jah se concorressem a parte nas olimpiadas bobeou ficavam na frente do Brasil no quadro de medalhas…Põe na lista ai tambem Gustavo Kuerten, maior tenista da historia do Brasil! Kelly Slater, monstro do surf…
Alias maconhero bão não é só no esporte né? Karl Seagan e Sheakespeare tá bão proceis? Pros coxinha tem tb o Steve Jobs…

Stoners Rules!

Responder

Francesco em 20/09/2013 - 12h21 comentou:

Pode até ser! Mas a maconha é o primeiro passo para o crak e algo mais, e até para o crime. Esperem, e verão!

Responder

Lulala em 20/09/2013 - 14h34 comentou:

Aproveitando o espaço, deveriam legalizar/descriminalizar a prostituição, a corrupção, a pedofilia, o parricidio e o complexo de Édipo. Somos vítimas de leis que jamais entenderemos o motivo de sua existência.

Responder

allan em 20/09/2013 - 14h45 comentou:

O povo sem argumentos… Rapaz, acho que esses recalcados teriam que dar um pega em um bom para tirar esses preconceitos medíocres..

Responder

Lulala em 20/09/2013 - 17h13 comentou:

Não alimente trolls alimente o sistema de valores burgueses eliminando a opinião do próximo. Assim comom fez Nabucodonosor na época em era rei.

Responder

Gustavo em 23/09/2013 - 04h26 comentou:

Meu único problema com a maconha é justamente saber que ela não é liberada. O dinheiro vai para fins excusos. Se ela fosse comercializada como qualquer cigarro, fumaria tranquilo.

Responder

José Antonio em 06/12/2014 - 05h35 comentou:

Por isso eu digo para o combater o trafico e os laboratórios: In loco, in natura.cada um planta para seu consumo.

ze antonio

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Maconha

Mais três Estados norte-americanos legalizam a maconha; agora são 32 de 50


Analistas dizem que, dado o enorme apoio popular à liberação, Trump colocará a legalização total em sua plataforma para 2020

Direitos Humanos, Maconha

Viva o Uruguai! Legalizar a maconha é bom para quem fuma e para quem…


Depois da Câmara, o Senado do Uruguai também aprovou a legalização da maconha no país. O tema vai agora à sanção do presidente Pepe Mujica. Trata-se de uma decisão paradigmática que coloca nosso vizinho ao…