Socialista Morena
Politik

Gentili diz sofrer “censura” de Maria do Rosario, mas processou Cynara Menezes por um tweet

Gentili se diga "vítima de censura" ao mesmo tempo que tenta calar seus críticos com interpelações judiciais por "crime contra a honra"

Cuidado que essa máxima só vale para ele
Cynara Menezes
07 de junho de 2017, 18h02

O apresentador e pseudohumorista Danilo Gentili está de mimimi por ter sido condenado pela Justiça do Rio Grande do Sul a apagar de suas redes sociais o vídeo ofensivo que fez contra a deputada federal Maria do Rosario (PT-RS). Segundo ele, Rosario tenta “censurá-lo” porque o notificou extra-judicialmente para que não citasse mais notícias falsas sobre a filha da deputada, menor de idade. Gentili aparece no vídeo rasgando a notificação, enfiando dentro da cueca e dizendo que vai mandar de volta para Rosario. A Justiça entendeu que o vídeo é “misógino” e ordenou a retirada do ar sob pena de multa de 500 reais por dia.

É curioso que Gentili se diga “vítima de censura” quando, em 2015, enviou para a autora deste blog, Cynara Menezes, uma interpelação judicial por “crime contra a honra” em virtude de um mísero tweet no perfil da jornalista na rede social.

Cynara ironizava o fato de um professor da PUC-RS ter feito uma “piadinha” extremamente machista, bem no estilo “politicamente incorreto” que Danilo e seus seguidores tanto prezam. Um exemplo deste tipo de comportamento é o tweet, posteriormente apagado por ele, onde o “humorista” do SBT ensina como se aproveitar de mulheres bêbadas.

daniloprint

Quer dizer que a liberdade de expressão só vale para a direita? Danilo Gentili pode falar o que quiser, mas ninguém pode pensar o que quiser sobre ele? Quem é o verdadeiro censurador? Perguntem a ele.

Na resposta à notificação, a jornalista Cynara Menezes disse que “a intenção do tweet foi meramente sarcástica, com um profissional de mídia e ‘humor’ que prima, como foi fartamente demonstrado, pela incorreção política. É espantoso que uma tentativa de intimidação e censura parta de um apresentador tão cioso da liberdade de expressão”.

Cynara lembrou que a implicância de Gentili com ela teve início quando publicou um texto crítico ao seu colega de palco, o roqueiro Roger Moreira, da banda Ultraje a Rigor, até hoje um dos mais lidos do blog Socialista Morena. Gentili fez questão de divulgar nas redes sociais um texto atacando a jornalista e, desde então, Cynara é insultada pelos seguidores do “humorista”.

Ela também lembrou que, em maio de 2015, dois meses antes de entrar na Justiça para “pedir explicações” pelo tweet, uma produtora de Danilo Gentili entrou em contato com a jornalista para convidá-la, em nome dele, a participar de um novo programa que Gentili estava preparando para a internet, como debatedora. Cynara recusou e postou nas redes sociais a razão da recusa, e o imbróglio acabou virando notícia em um portal.

UPDATE: O Intercept publicou reportagem sobre os processos que o “humorista” move contra vários jornalistas que o criticam.

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Anos Rebeldes – o remake


Vinte anos depois do sucesso da primeira versão, que inspirou os caras-pintadas a irem às ruas contra o governo de Fernando Collor, a TV Globo anunciou que irá fazer um remake da minissérie Anos Rebeldes.…

Direitos Humanos

Bolsonaro é condenado por dizer que quilombolas “não servem nem para procriar”


Juíza do Rio estipula indenização de 50 mil reais e diz que deputado deveria assumir "postura mais respeitosa com relação aos cidadãos e grupos que representa"