Socialista Morena
Trabalho

Ketchup de acerola criado pela Universidade Federal do Ceará é premiado na França

Natchup será comercializado por empresa cearense em parceria com a UFC; lucro será revertido para a universidade e entidades sociais

Foto: Viktor Braga/divulgação UFC
Da Agência Brasil
01 de dezembro de 2018, 18h54

Por Edwirges Nogueira, da Agência Brasil

Imagine um molho denso, vermelho e levemente adocicado para saborear com seu sanduíche favorito ou batata frita. Rapidamente pensamos em ketchup. Agora, imagine esse molho com as mesmas características, mas feito com frutas e legumes naturais e livre de aditivos químicos e corantes. Essa é a proposta do Natchup, desenvolvido pela UFC (Universidade Federal do Ceará). No lugar do tomate, são usadas a acerola, a beterraba e a abóbora, que são abundantes no Nordeste.

A professora Lucicléia Barros, chefe do Departamento de Engenharia de Alimentos da UFC, conta que a ideia nasceu em 2016, quando os estudantes de graduação Bárbara Denise, Carolinne Filizola e Thiago Tajra queriam desenvolver um produto saudável e funcional, rico em vitamina C e livre de defensivos agrícolas, como atividade da disciplina Aspectos Básicos do Processamento de Frutos Tropicais.

Os estudantes queriam desenvolver um produto saudável e funcional, rico em vitamina C e livre de defensivos agrícolas a partir de um fruto e que tivesse as mesmas características sensoriais do ketchup, daí a escolha da acerola, da abóbora e da beterraba

“Pensamos em fazer um molho parecido com o ketchup, que é muito popular principalmente entre os jovens, mas que fosse feito a partir de um fruto e tivesse as mesmas características sensoriais. De imediato, a acerola foi a primeira cotada por ser antioxidante e rica em vitamina C. A abóbora entrou no sentido de dar a consistência do produto e por ser rica em fibras. Ficou faltando a cor e chegamos à beterraba pelo potencial corante e por também ser rica em antioxidantes.”

A ideia virou projeto de pesquisa a partir de uma bolsa do PIBIC (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica) e passou por 21 formulações para resultar no produto atual. Os três estudantes se formaram, mas a pesquisa continuou com outros professores e estudantes da UFC.

O Natchup é um dos dois alimentos brasileiros que receberam o selo Innovation Sial 2018, concedido em outubro durante o Salão Internacional de Alimentação, realizado em Paris, e será comercializado pela empresa cearense Frutã durante cinco anos, conforme parceria estabelecida com a universidade. Parte dos recursos arrecadados com a venda do Natchup será revertida para a UFC e para entidades sociais.

O ketchup de acerola ou Natchup foi um dos dois alimentos brasileiros que receberam o selo Innovation Sial 2018 do Salão Internacional de Alimentação, em Paris. “Quando provei o molho, pensei: ‘esse produto vai estourar no mundo’”, aposta a empresa parceira

A aliança entre a universidade e a empresa aconteceu no início da pesquisa. “Quando provei o molho, pensei: ‘esse produto vai estourar no mundo’. Ele é à base de acerola, que pode ser cultivada toda de forma orgânica, com menos da metade do açúcar e sódio presentes no ketchup. Ou seja, é um produto para consumir sem culpa e, além de tudo, é muito gostoso”, aposta Ana Patrícia Diógenes, sócia-diretora da Frutã, que aconselha ainda que outras empresas façam parcerias com instituições de ensino e pesquisa para o desenvolvimento de produtos inovadores.

O Natchup fará parte do portfólio da empresa, que comercializa seus produtos para parte do Brasil e Alemanha, Bélgica, Portugal, Espanha, França e EUA. Segundo Ana Patrícia, durante o salão de alimentação em Paris, dez países já encomendaram o Natchup. O molho já está à venda online e deverá ser disponibilizado nos supermercados a partir do início de 2019.

 


(4) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Raidon Paulo Magalhães em 01/12/2018 - 19h41 comentou:

Parabéns UFC, parabéns Brasil é um orgulho muito grande pra nós brasileiros,em especial parabéns Bárbara Denise!

Responder

José Carlos de Abreu em 02/12/2018 - 10h35 comentou:

Ótima notícia. Muito importante principalmente como exemplo do que pode ser feito.
Parabéns a a Universidade Federal do Ceará, aos envolvidos no processo, principalmente os estudantes.
Lembrando que a UFC é Universidade PÚBLICA e teve o apoio do PIBIC.
As duas ameaçadas de privatização pelo novo governo(?). Ou seja, pretende acabar como pública, privatizando.
E parabéns também a Cynara, divulgando (blog e twitter) aos seus leitores importante notícia que não seria divulgada na atual mídia, conhecida tb como PIG.

Responder

Silvania em 03/12/2018 - 12h53 comentou:

Parabéns, fico feliz em saber que a nossa UFC foi premiada . E agradeço a Deus por ter pessoas guerreiras que não desisti dos seus sonhos mesmos com as dificuldades que são muitas!

Responder

Rosana Celestini em 03/12/2018 - 13h17 comentou:

Quero ser a primeira a comprar quando for comercializado

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Kapital

Davi enfrenta Golias: a luta das tubaínas contra a Coca-Cola e a Ambev


Indústrias pequenas apoiam decreto de Temer que reduz de 20% para 4% o desconto no IPI na compra de concentrados na Zona Franca

Direitos Humanos

Direita quer obrigar brasileiro a comer transgênicos e alimentos com agrotóxicos


Ruralistas estão conseguindo aprovar no Legislativo projetos que tiram o poder de escolha do consumidor. Cadê o Procon?