Mãe norte-americana versus gosma rosa

Esta é para quem, como eu, não acredita em abaixo-assinados e muito menos em petições online: Bettina Siegel, uma dona-de-casa de Houston que mantém um blog sobre alimentação infantil, está conseguindo banir do lanche das crianças das escolas públicas norte-americanas uma mistura de carne processada que era conhecida pelo apelido de “gosma rosa”. Bettina, que é advogada e tem dois filhos em escolas públicas, simplesmente reuniu uma quantidade de assinaturas e forçou o Departamento de Agricultura a oferecer uma alternativa a essa porcaria. Funciona!

A tal “gosma rosa” é uma daquelas coisas que a indústria norte-americana inventou para ganhar mais dinheiro fazendo os alimentos renderem –e, suspeita-se, é o que fez engordar as pessoas por lá nas últimas décadas. Conhecido pela sigla LFTB (lean finely textured beef), a gosma foi originalmente concebida para ser consumida por animais de estimação, não por gente! Ou seja, é um Bonzo dado às crianças! Em 2001, não se sabe como, foi aprovado para consumo humano e passou a ser utilizado na alimentação de estudantes e soldados. Esse troço é adicionado a 70% da carne moída vendida nos supermercados. Desnecessário dizer que isso inclui as redes de fast-food. (Outra sigla sinistra é HFCS, ou high-fructose corn syrup, um xarope que substituiu o açúcar nos EUA e a quem muitos creditam a obesidade.)

No ano passado, o chef Jamie Oliver já havia denunciado a gosma rosa (pink slime) neste vídeo:

Em março deste ano, graças a uma plataforma que reúne e assessora petições online, a Change.org, Bettina conseguiu coletar mais de 200 mil assinaturas solicitando ao Departamento de Agricultura dos EUA que impedisse que a mistura fosse adicionada ao lanche escolar. A argumentação é de que existem suspeitas de que a gosma, além de dar um gosto esquisito à carne, como diz Oliver, também pode transmitir bactérias como a Salmonella. Por isso, aliás, ela é lavada com… amônia. Resumindo: um nojo. Mas o mero fato de uma ração para animais estar sendo servida a crianças já seria razão para se indignar, não?

Pois bem: apenas nove dias depois de Bettina começar a recolher assinaturas, o órgão anunciou que a partir deste outono irá oferecer duas opções de carne para o lanche nas escolas públicas, com e sem LFTB. Agora só depende dos pais preocupados com o que seus filhos comem, impedir a escola que frequentam de escolher a carne com a gosma rosa. Bettina e as crianças norte-americanas ganharam a batalha e eu ganhei amor pelas petições online.

 

Leia também  Lugar de artista é na rua

O Socialista Morena é um blog de jornalismo independente. Se você quiser contribuir financeiramente, doe ou assine. Quanto mais colaborações, mais reportagens exclusivas. Obrigada!!

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode apenas usar qualquer cartão de crédito ou de débito. Ou, você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência 3310
Conta Corrente 23023-7

Publicado em 8 de novembro de 2012