Socialista Morena
Politik

Lady Gaga, Mia Khalifa e Abba: o “tribunal de Haia” mucho loco do bolsonarismo

Desde que Lula venceu, apoiadores do presidente se empenham em criar fake news envolvendo a Corte, que não tem o poder de intervir em eleições de país algum

The Trial, Sidney Nolan, 1947
Da Redação
08 de novembro de 2022, 16h39

Até pouco tempo atrás, os bolsonaristas desprezavam organismos multilaterais e particularmente a Corte de Haia, o Tribunal Penal Internacional, com sede na Holanda, onde seu “mito” já foi denunciado seis vezes, inclusive por genocídio. Mas, após Jair Bolsonaro ser derrotado por Lula nas eleições, o tribunal não sai das mentes e das redes sociais da extrema direita brasileira. O detalhe é que o “tribunal de Haia” dos seguidores do presidente é a peça de ficção mais aloprada do bolsonarismo desde a mamadeira de piroca em 2018.

Não há limite para a falta de raciocínio lógico? Quem mais falta integrar o “tribunal de Haia” do mundo bizarro do bolsonarismo? O juiz Dredd? O vocalista dos Bee Gees? O ET de Varginha? O pior é saber que, inverossímil ou não, os bolsominions acreditarão

Quem visse do exterior pensaria que são os petistas que estão criando as peças com o intuito de ridicularizar ainda mais o entorno de Bolsonaro. Nomes inventados de supostos membros da Corte mesclados a fotos de celebridades são utilizados em montagens toscas para tentar convencer incautos de que a eleição de Lula está sendo questionada no exterior, quando na verdade o ex-presidente já foi cumprimentado pela vitória pelos líderes dos países mais importantes do mundo, como Estados Unidos, China, França, Alemanha, Espanha, México e Canadá, entre outros.

Na semana passada, os grupos de whatsapp bolsonaristas espalhavam um suposto encontro que teria acontecido entre Bolsonaro e a “primeira-ministra” do Tribunal de Haia, Stefani Germanotta. “Bolsonaro conversa nesta quarta-feira (02/11) com a ministra Stefani Germanotta sobre as providências a serem tomadas após as 72 horas. Tudo indica que ocorrerá uma intervenção federal para reapurar os votos das urnas”, dizia a mensagem. Detalhe: o cargo de “primeira-ministra” da corte de Haia não só não existe como Stefani Germanotta é o nome verdadeiro da cantora Lady Gaga.

A ex-atriz pornô Mia Khalifa, que já havia sido citada por bolsonaristas durante a CPI da Covid-19 como a patrocinadora de um estudo científico em defesa da eficácia da cloroquina, reaparece agora nas montagens golpistas como a “diretora do Departamento Anti-Fraudes Eleitorais” do tribunal, Igrad Gaak. A própria Mia tirou onda no twitter: “OK, neste momento eu deveria estar perguntando se estou atrasada para o trabalho, porque acho que realmente tenho um trabalho”.

A mais recente “aquisição” do tribunal de Haia mucho loco do bolsonarismo foi a vocalista do grupo Abba, Agnetha Fältskog, em uma fake news espalhada por ninguém menos que o amigo argentino de Eduardo Bolsonaro, Fernando Cerimedo, como a “renomada juíza sueca Anna Ase”. Cerimedo foi o picareta da extrema direita argentina que divulgou no youtube um vídeo com mentiras sobre as urnas eletrônicas que viralizou antes de ser tirado do ar pelo TSE.

Obviamente é tudo mentira, tentativa de desestabilizar o país e criar um clima de guerra civil. A Corte de Haia julga indivíduos e não Estados; portanto, não tem o poder de intervir em eleições de país algum. Se há algum presidente prestes a ser julgado pelo Tribunal Penal Internacional não é Lula, é Bolsonaro. Na mais recente denúncia feita contra ele, em março deste ano, instituições europeias acusam o presidente brasileiro de ter cometido crimes contra a humanidade pela destruição da Amazônia e pelas ameaças aos povos indígenas. A petição foi acompanhada de mais de um milhão de assinaturas, essas sim bem reais.

Não há limite para a falta de raciocínio lógico dessa gente? Quem mais falta integrar o “tribunal de Haia” do mundo bizarro do bolsonarismo? O juiz Dredd? O vocalista dos Bee Gees? O ET de Varginha? O pior é saber que, por mais inverossímil que seja o personagem envolvido, os bolsominions acreditarão.

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta: 000591852026-7
PIX: [email protected]
(2) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Paulo Roberto Martins em 09/11/2022 - 18h22 comentou:

Nunca imaginei ver tantas loucuras geradas pela extrema direita neste país. O retrocesso mental é sem paralelo na história da humanidade. Depois de nos tornarmos o país mais caricato do mundo, Bolsonaro está se despedindo deixando um povo dos mais imbecilizados do mundo. Que mais falta neste país?

Responder

felipe puxirum em 11/11/2022 - 14h06 comentou:

nossa miséria cultural atual
é bem menor do que os dois

a gal costa e rolando boldrin
exemplos de comunicadores
em fundos prazeres de curtir
da cultura dois trabalhadores
que ousaram no saber resistir
a ela e a ele os meus louvores
por enriquecerem meu existir
patriotas sim de leais amores
pelo brasil daqui dacolá e dali
sem favores e nem desfavores
da bahia a são paulo meu elixir

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

PT lança desafio culinário “lula com chuchu”: será que combina bem?


Se a mistura realmente der certo, o prêmio é livrar o Brasil de Bolsonaro. Hummmm!

Politik

O “efeito Renata”: respeito de Lula com a jornalista é diferencial em relação a…


Enquanto o atual presidente foi ríspido e ainda estimulou ataques nas redes contra Renata, o petista respondeu com civilidade e lhe conferiu um protagonismo de que nem Bonner foi capaz