Socialista Morena
Cultura

Miniguia de Brasília para quem vem para a posse de Lula

Dicas gastronômico-etílicas e de passeios na capital fora do circuito oficial, além de opções de festas para o réveillon

Parque Nacional de Brasília. Foto: Zé Maria Palmieri
Da Redação
29 de dezembro de 2022, 15h43

A sessentona capital da República tem muito mais atrativos do que o circuito oficial do poder, onde ficam as obras famosas de Oscar Niemeyer –para quem chega pela primeira vez, é claro que recomendamos começar por elas. Reunimos aqui neste post algumas dicas gastronômico-etílicas e de passeios para quem está vindo a Brasília para a posse de Lula no dia 1º de janeiro, além de algumas opções para a noite de réveillon.

Clique nos títulos para endereços e telefones. Este post será atualizado ao longo dos dias.

PASSEIOS

Parque Nacional de Brasília (Água Mineral): um parque urbano com trilhas e duas piscinas maravilhosas de água de nascente! Imperdível.

Parque da Cidade Sarah Kubitschek: é o maior parque da capital e fica bem no coração da cidade, perto de tudo. Tem um parquinho imperdível para crianças, com um brinquedo, o Foguetinho, que fez a alegria de muita gente que cresceu na cidade; tem lago, tem pedalinho, dá para passear de bicicleta e é possível alugar bikes e também patins… Fica ao lado da feira da Torre, outra atração bacana da capital e que merece um tópico só para ela.

O foguetinho do parque. Foto: Cynara Menezes

Feira da Torre de TV: a maior e mais tradicional feira de artesanato de Brasília, funciona aos sábados e domingos nas proximidades da torre de TV, bem no centro da capital. Tem uma praça de alimentação com comidas nordestinas, paraenses, pastel, caldo de cana, sorvetes de frutas… Altamente recomendável.

Parque Olhos d’Água: outro parque aprazível para uma caminhada no final da Asa Norte, o único bairro de Brasília onde Lula ganhou de Bolsonaro nas eleições. Aliás, a maior parte das recomendações deste post não por acaso ficam na Asa Norte! Nossa bolha… Nas vizinhanças do parque, na CLN 412/413, também há uma boa oferta de bares, cafés e restaurantes.

Museu Vivo da Memória Candanga: um dos museus mais simpáticos e pouco conhecidos da capital. Localizado entre as Regiões Administrativas de Candangolândia e Núcleo Bandeirante, o museu foi instalado no antigo Hospital Juscelino Kubitschek de Oliveira, e reúne o mais fiel conjunto de arquitetura de madeira da época da construção da nova capital. As casinhas coloridas são lindas! Há uma exposição permanente sobre os primeiros anos da construção de Brasília e também exposições temporárias.

As casinhas do Museu Vivo. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

Bike Tour: Um dos melhores passeios em Brasília é andar de bike. Para começo de conversa, quase não tem ladeiras… A malha cicloviária do Distrito Federal é a segunda do país: 636 km de ciclovias. Então, é uma boa ideia vir para cá com o “camelo” a tiracolo. No sábado, 31, o pessoal do Pedalula promove na capital o Pedalula da Posse, com concentração na Torre de TV. E a Camelo Bike Tour oferece passeios de bicicleta variados pelos cartões postais de Brasília, como o “Eixo Monumental”, e “As Quatro Escalas de Lucio” e “Eduardo & Mônica”.

Visita guiada a vinícolas: sim, o Centro Oeste produz vinhos! A 90 km de Brasília, em Cristalina (GO), a visita à fazenda Ercoara começa com degustação dos produtos locais, como o salame de cordeiro e iogurte de leite de ovelha, seguida de visita guiada à criação dos carneiros e à plantação de uva. O almoço, em seis etapas, traz criações de chefs brasilienses, harmonizadas com diferentes vinhos e espumantes de produtores parceiros. Visitas só com reservas.

Feirinha do MST ou da Ponta Norte: uma feirinha de orgânicos que tem todo sábado no final da Asa Norte virou um reduto de esquerdistas. Neste sábado, 31 de janeiro, vai haver um esquenta para a posse, com café da manhã e atrações musicais e culturais.

Chapada Imperial: para quem quer tomar um banho de cachu sem ir à Chapada dos Veadeiros, onde chove muito nesta época do ano, a Chapada Imperial, uma reserva ecológica particular com trilhas e cachoeiras, fica a 50km do centro da capital. É necessário fazer reserva e os pagamentos no local têm que ser feitos em dinheiro ou cheque porque não pega sinal de internet. Os pacotes incluem almoço, trilhas guiadas e piscinas naturais. Mais informações aqui.

Pirenópolis: cidade histórica a 150km de Brasília. Vale a pena conhecer as ruas de pedra portuguesa da cidadezinha goiana fundada em 1727 e famosa por suas cavalhadas. Há uma farta oferta de pousadas e restaurantes charmosos na cidade, além de lojas de artesanato. E belas quedas d’água geladíssimas, como a cachoeira do Abade e Bonsucesso.

Pôr-do-sol na Ermida Dom Bosco: a Ermida é um parque que muita gente considera como o melhor lugar para apreciar o pôr-do-sol na capital, com vista para o lago Paranoá. A dica é levar um bom vinho ou espumante para relaxar e aproveitar o visual. A capela da Ermida foi projetada por Oscar Niemeyer e inaugurada em 1957.

Jardim Botânico: melhor lugar da capital para fazer um piquenique com as crianças. E ainda conta com um bistrô e dois restaurantes. O caçula da turma é um restaurante com ingredientes orgânicos super recomendado, o Cura, da mesma dona do bistrô, Cristina Roberto, chef e banqueteira de mão cheia.

BOTECOS:

Jamburita: barzinho despojado com comidinhas ótimas com uma pegada paraense. Recomendamos os drinques com jambu e o pastel de caranguejo. Um mimo: o Jamburita possui os banheiros mais impecáveis da cidade! Atenção: só abre de quarta a sábado e a cozinha fecha cedo! Às quartas tem DJ fazendo discotecagem ao vivo.

Beirute: é o mais tradicional boteco da capital, com a matriz na 109 Sul e a filial, hoje mais badalada, na 107 Norte. Comidinhas árabes, cerveja sempre gelada e atendimento excelente. Não dá para vir a Brasília sem tomar umas com os amigos no Beiras!

Restaurante da Tia Zélia: na Vila Planalto, bem no centro de Brasília, o aprazível restaurante da Tia Zélia é nada menos que o favorito do presidente Lula! Da primeira vez que foi presidente, Lula mandava vir do restaurante uma quentinha com comidas nordestinas, como a buchada de bode, que hoje ela só faz por encomenda. Mas no cardápio tem muitas pedidas com tempero caseiro: galinha caipira, feijoada, carne de panela… Vir a Brasília e não conhecer o Tia Zélia é como ir à Roma e não conhecer o papa!

Lula e tia Zélia. Foto: Ricardo Stuckert

Pardim: um dos mais frequentados points petistas da capital, local de muitas celebrações: a soltura de Lula, a vitória contra Bolsonaro… É um boteco típico daqueles de mesas de plástico, para tomar cerveja e comer tira-gostos clássicos, como a moela de galinha e o sanduíche de pernil. Domingo tem feijoada.

MimoBar: em novembro, o Mimo, reduto de esquerda em Brasília, sofreu um ataque a tiros como uma tentativa de intimidação de bolsonaristas. Só essa notícia já seria motivo para conhecer o simpático local, sempre com uma DJ convidado e uma figura do Lula em tamanho natural na entrada! Além de drinques como o Delírio Comunista (vodca, xarope de hibisco e tônica) e belisquetes autorais: croquete de ossobuco, arancine de espumante trufado.

A entrada do MimoBar. Foto: Cynara Menezes

Teta Cheese Bar: cervejas especiais, drinques e excelentes queijos curados de fabricação nacional são as atrações do charmoso Teta. No sábado 31 o bar funciona no horário do almoço com o evento Sabadance, com roda de samba, feijoada e pula-pula para as crianças. Recomendamos a torre de abobrinha com queijo de cabra!

FESTAS:

Encontro da comunidade Fórum: a baladinha com a presença de Renato Rovai, Dri Delorenzo, Miguel do Rosário, Cynara Menezes e os seguidores da revista Fórum acontece nesta sexta-feira, 30 de dezembro, no boteco do Encontro. A partir das 18h começam as bebemorações e das 19h em diante tem roda de samba! Inscreva-se aqui.

Réveillon Vermelho da Posse: acontece numa chácara no Lago Norte, no Núcleo Rural Corrego do Urubú, com uma vista linda das luzes da capital. Há um custo compartilhado de 70 reais/pessoa para gastos com DJ, decoração, serviços , infra etc. Mais informações pelo whatsapp com Simione Oliveira: 61 98119-0152.

Viva 2023: a festa oficial de réveillon do governo do Distrito Federal, gratuita, acontece nos dias 30 e 31 de dezembro, em cinco locais simultaneamente: Eixo Cultural Ibero-americano (antiga Funarte), Prainha dos Orixás, Gama, Ceilândia e Sobradinho. A atração principal da noite de réveillon será a cantora Vanessa da Mata, que se apresentará no palco do Eixo Cultural Ibero-americano. Confira a programação completa aqui.

 

 

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta: 000591852026-7
PIX: [email protected]
(4) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Cláu em 29/12/2022 - 19h55 comentou:

Guia MARAVILHOSO!!!!
Obrigada por compartilhar!!!
Muito bom! Perfeito👏👏👏

Responder

Maurício Mirra em 30/12/2022 - 01h13 comentou:

Maravilhosa dica… replicando!!!

Responder

Anna silva em 30/12/2022 - 09h51 comentou:

Bom dia vai ser a maior festa da Vitória #LULA presidente do Brasil, gostei das informação estão bem elaborada parabéns.

Responder

Claudia Santoa em 30/12/2022 - 23h36 comentou:

Adorei as dicas… Obrigada!!

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Doria não cita Bolsonaro e ataca Dilma e Lula ao anunciar inscrição nas prévias


Pelo visto, o tucano, mesmo rompido com o ex-presidente, pretende continuar a flertar com a extrema direita em busca de votos

Cultura

Nuvem, a bicicleta made in Brasília


A história do "camelo" que marcou época e voltou a ser um hit, produzida por bicicleteiros da capital federal