Socialista Morena
Politik

Na real, já estivemos em companhia pior, hein? E o adversário não era o capiroto…

Não podemos gourmetizar apoios quando o povo tem fome, tem pressa. Tampouco este apoio pode ser cobrado, ele tem que vir de coração

Lula e Erundina no dia do lançamento da pré-candidatura. Foto: divulgação
Cynara Menezes
10 de maio de 2022, 14h52

Para meu espanto, vejo gente de esquerda incomodada com a presença de Geraldo Alckmin na vice do Lula, como se este fosse o Mal encarnado –e não a gárgula que está encarapitada no Palácio do Planalto, com perdão às gárgulas. No lodaçal em que estamos afundados, empinam o nariz para declarar que não podemos sujar nossas vestes imaculadas com o apoio de setores da direita. Ora, isto nem chega a ser coerente: em eleições anteriores, já estivemos em companhia pior e o adversário não era o capiroto.

Pensemos em 2010. Naquele ano, para minimizar o ataque baixo do PSDB a Dilma de que ela era “abortista”, o PT precisou acenar aos setores mais conservadores das igrejas neopentecostais. A candidata conseguiu o apoio de Marco Feliciano e foi rezar no Santuário de Aparecida. Em 2014, na campanha da reeleição, Dilma ainda tinha a companhia de Eduardo Cunha, e nem vou mencionar Michel Temer. Em 2016, às vésperas do golpe, a presidenta da República compareceu à inauguração do Templo de Salomão em São Paulo, num beija-mão a Edir Macedo, dono da Igreja Universal. Toda essa gente está do outro lado agora, com Bolsonaro. E Alckmin é melhor que todos eles.

Além de Alckmin, estão a nosso lado Boulos, Sônia Guajajara, os maiores artistas brasileiros (inclusive Caetano), PSB, PSOL e Rede. A Luiza Erundina! Pode vir a Marina Silva também… E, se estivermos de braços abertos, muito mais gente

Sem contar que, além do ex-governador paulista, estão a nosso lado este ano Guilherme Boulos, Sônia Guajajara, os maiores artistas brasileiros (inclusive Caetano, que vai de Lula no primeiro turno), PSB, PSOL e Rede (que tiveram candidatos próprios na última eleição). A Luiza Erundina! Pode vir a Marina Silva também… E, se estivermos de braços abertos, muito mais gente. Não podemos gourmetizar apoios quando o povo tem fome, o povo tem pressa. Tampouco este apoio pode ser cobrado, ele tem que vir de coração, porque esta é a campanha do amor contra o ódio: para ser vencedora, é preciso contagiar corações e mentes.

Temos a possibilidade em 2022 de unir em torno de Lula o amplo espectro da sociedade que é a favor dos direitos LGBTs, que são antirracistas, antifascistas, contra a ditadura militar, a favor da preservação do meio ambiente, dos quilombolas, dos povos indígenas, da tolerância religiosa, da ciência, das vacinas… Está todo mundo do lado de cá, e francamente não importa ser de esquerda ou de direita. Progressistas contra conservadores já é uma delimitação importante num momento em que, em todo o mundo, a agenda da extrema direita é idêntica porque se trata de uma estratégia de dominação.

A antiga polarização entre PT e PSDB, se tinha suas vantagens porque era uma disputa no campo democrático, por outro permitia que esse pessoal parasitasse os dois partidos. A disputa entre petistas e tucanos, que poderia ter sido, na melhor das perspectivas, uma disputa republicana entre a direita liberal e a esquerda, infelizmente descambou para o fratricídio, graças sobretudo à influência nefasta do fundamentalismo religioso. A purga que representou a eleição de Bolsonaro foi boa, porque temos, todos nós progressistas, a chance de isolar este setor.

O triunvirato que opera o bolsonarismo é a bala (incluídos aí militares), a Bíblia e o boi. Para derrotar a extrema direita, é preciso causar a cizânia nestes setores também. Tem militar que não quer ditadura; tem evangélico que não quer Bolsonaro; e tem agropecuarista que não quer desmatar ou matar indígena

E digo mais. O triunvirato que opera o bolsonarismo é a bala (incluídos aí parte dos militares), a Bíblia e o boi. Para derrotar a extrema direita, é preciso causar a cizânia nestes setores também. Tem militar que não quer ditadura; tem evangélico que não quer Bolsonaro; e tem agropecuarista que não quer desmatar ou matar indígena. E nos três setores tem gente que acredita na ciência, que não é intolerante e que não está interessado na orientação sexual dos outros. O que eu proponho, em síntese, é uma saída à francesa: união contra a extrema direita. Depois a gente volta a se dar o luxo de debater divergências.

Este é um momento decisivo para o nosso país. Ou a gente acerta o rumo ou descamba de vez. A esquerda precisa aprender que há tempos em que é preciso escolher não só quem a gente quer que governe, mas a quem a gente prefere fazer oposição.


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
PIX: [email protected]
(6) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Bernardo Santos Melo em 11/05/2022 - 07h36 comentou:

Brasil dos Verdes sobreviventes do General Silvio Frota , trouxeram o novo louvor a TORTURA desde o dia do impeachment da Honesta Dilma .
De sexta economia global , hoje no CAOS proposital , o Brasil do Capetão já situa-se próximo a 15ª economia mundial , um retrocesso decorrente de uma gestão Tchucada onde o abre alas é o Palhaço Miliciano domador de fanáticos desinformados .
Cinco meses nos separam de uma eleição que selará o destino brasileiro ao longo do século XXI , adicionar Chuchu à resistência foi necessário falta-nos ainda um ingrediente apimentado e competente que traído por Lula ainda destila arrazoados argumentos contra Genô e ao PT . Conquistar Ciro Gomes representa VENCERMOS no 1º TURNO , e somente Lula possui altivez e habilidade para conquistar este último e necessário opositor , MISSÃO : servir ao povo brasileiro um prato gostoso e bem temperado , com os ingredientes , LULA c Chuchu ao molho picante cearense .

Responder

Domingos Leonelli em 11/05/2022 - 15h07 comentou:

Excelente artigo. Inteligente como sempre. Maduro e preciso.

Responder

    Cynara Menezes em 11/05/2022 - 17h05 comentou:

    obrigada

João Noarm em 12/05/2022 - 10h38 comentou:

Infeliz a conjugação de um título e de uma imagem dando a entender que Erundina teria sido uma “pior companhia”… Triste era postar tantas coisas contra o Lula e a Dilma, em passado tucano, e hoje…

Responder

    Cynara Menezes em 12/05/2022 - 14h45 comentou:

    todo mundo entendeu, menos você

Luís Carlos Kerber em 16/05/2022 - 13h42 comentou:

Vamos de Lula, vamos de Alckimin. Precisamos salvar a Democracia neste momento. Depois de salvar a Democracia vamos cobrar os direitos que perdemos nos governos do Coiso, o genocida e do tenebroso e canalha Temer.

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Adeus, jornais impressos


Caí de amores pela Folha de S.Paulo aos 17 anos, em 1984, quando entrei na faculdade e o jornal apoiou a campanha pelas Diretas-Já. Até então, menina do interior da Bahia, não conhecia bem a…

Politik

Não são os EUA que financiam Yoani; é Cuba e a esquerda arcaica


Tão risível quanto achar que aqueles meninos militantes de movimento estudantil que fizeram protestos são “orquestrados por Cuba”, como perpetraram alguns jornalistas brasileiros, é achar que é culpa dos Estados Unidos que Yoani Sánchez, uma…