Socialista Morena
Politik

Nas redes, dia da mentira e do golpe militar vira “Bolsonaro Day”

Confira os memes sobre o "presidente Pinóquio" que chegou ao poder graças às fake news e que nega ter havido ditadura militar no país

Foto: reprodução twitter
Da Redação
01 de abril de 2019, 15h05

O presidente autoproclamado Zé de Abreu deu o start na noite de domingo, e na manhã desta segunda-feira o twitter amanheceu tomado pela hashtag #BolsonaroDay. Durante o dia, já era um dos assuntos mais comentados no mundo inteiro.

Trata-se de uma gozação com o fato de o 31 de março de 1964 como data “oficial” do golpe ser uma mentira histórica, possivelmente a primeira fake news da turma de Bolsonaro nas Forças Armadas. Como o golpe aconteceu na madrugada de 1º de abril, conhecido como Dia da Mentira, os militares falsearam a história, inclusive nos livros escolares, dizendo que o golpe aconteceu no dia 31 de março. Fake news!

Tudo a ver com um presidente que se elegeu impulsionado por notícias falsas, que continua a compartilhar fake news depois de eleito, e que nega a própria existência de uma ditadura militar no Brasil. A internet quebrou com as gozações sobre o “presidente Pinóquio”. Confira.

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Cultura

Alvim propôs companhia de teatro ao governo antes de se dizer “perseguido pela esquerda”


Diretor de teatro montou farsa para justificar adesão à agenda da extrema-direita e a criação de uma companhia com dinheiro público

Mídia

Te cuida, EBC: Macri começa a sucatear a comunicação pública na Argentina


Na mesma tarde que a seleção de Messi derrotou a Nigéria, governo anunciou a demissão de 354 trabalhadores na agência de notícias Télam