Socialista Morena
Cultura

O poema que me fez virar à esquerda

O culpado por eu me ter me tornado, aos 15 anos, uma esquerdista, é um poema do dramaturgo e escritor alemão Bertolt Brecht (1898-1956). Vocês conseguem entender por quê? Perguntas de um Operário Que Lê Quem construiu Tebas, a das sete portas? Nos livros constam o nome dos reis, Mas foram os reis que transportaram […]

(Brecht por Fernandes)
Cynara Menezes
24 de outubro de 2012, 15h35

(Brecht por Fernandes)

O culpado por eu me ter me tornado, aos 15 anos, uma esquerdista, é um poema do dramaturgo e escritor alemão Bertolt Brecht (1898-1956). Vocês conseguem entender por quê?

Perguntas de um Operário Que Lê

Quem construiu Tebas, a das sete portas?
Nos livros constam o nome dos reis,
Mas foram os reis que transportaram as pedras?
Babilónia, tantas vezes destruída,
Quem outras tantas a reconstruiu? Em que casas
Da Lima Dourada moravam seus obreiros?
No dia em que ficou pronta a Muralha da China para onde
Foram os seus pedreiros? A grande Roma
Está cheia de arcos de triunfo. Quem os ergueu? Sobre quem
Triunfaram os Césares? A tão cantada Bizâncio
Só tinha palácios
Para os seus habitantes? Até a legendária Atlântida
Na noite em que o mar a engoliu
Viu afogados gritar por seus escravos.

O jovem Alexandre conquistou as Índias
Sozinho?
César venceu os gauleses.
Nem sequer tinha um cozinheiro ao seu serviço?
Quando a sua armada afundou, Filipe de Espanha
Chorou. E ninguém mais?
Frederico II ganhou a guerra dos sete anos
Quem mais a ganhou?

Em cada página uma vitória.
Quem cozinhava os festins?
Em cada década um grande homem.
Quem pagava as despesas?

Tantos relatos
Quantas perguntas


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(15) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

justdu em 24/10/2012 - 15h44 comentou:

Brecht também me influenciou e muito Cynara….

Responder

justdu em 24/10/2012 - 15h45 comentou:

Mas também este aqui : A liberdade custa muito caro e temos ou de nos resignarmos a viver sem ela ou de nos decidirmos a pagar o seu preço.
José Martí

Responder

Amanda em 24/10/2012 - 15h56 comentou:

Lindo!

Responder

Toledo em 24/10/2012 - 21h14 comentou:

Perguntas de um Leitor Que Lê

Quem construiu Brasília, a dos sete generais?
Nos livros consta o nome de JK,
Mas foi JK que transportaram as pedras?

O jovem operário conquistou Brasília
Sozinho?
Lula venceu os tucanos.
Nem sequer tinha um tesoureiro, um marqueteiro e um carequinha ao seu serviço?
Agora que sua quadrilha afundou,
Chorou. E ninguém mais além do Suplicy?
O operário reinou por oito anos
Quem mais a ganhou?

Em cada pagamento uma vitória.
Quem comandava os festins?
Em cada votação um assalto.
Quem pagava as despesas?

Delúbio, Dirceu, Valério ?

Tantos relatos
Quantas perguntas…
E as respostas estão todas aí…

Responder

    Grivo em 09/06/2013 - 03h07 comentou:

    Deu pra perceber o que você lê.

    Fatima em 14/12/2013 - 15h08 comentou:

    Este poema é seu?

    MaiaFilho em 15/12/2013 - 14h47 comentou:

    Perguntas a um leitor que lê
    de um leitor que sempre desconfia do que lê

    Tantas "informações", tantas afirmações.
    Quem as produziu?
    Tantas ilações, tantas insinuações…
    Que sentimentos as motivam
    São tantos os jornais, tantas tvs,
    Quem os possui ?
    Getúlio, Juscelino, Jango,
    Corrupto, Ladrão, Corrupto,Ladrão….
    Sempre os mesmos ataques, as mesmas calúnias,
    os mesmos desfechos…
    São sempre as mesmas mãos que atiram as mesmas pedras…
    As mãos que atiram as pedras são as mesmas que estrangularam a liberdade.
    Há tantos metrôs,
    Quem os superfaturaram?
    Há tanto dinheiro vazado,
    Quem o expatriou?
    Não viemos do pó, ao pó não voltaremos, no pó não votaremos.!

Сталин em 25/10/2012 - 13h54 comentou:

Comigo também foi aos 15, mas com Bakunin. Achei brilhante ele ter percebido tão cedo que qualquer estado comunista se voltaria ao tiranismo.

Responder

Alessandra Mello em 25/10/2012 - 17h19 comentou:

Eu me bandiei totalmente para a esquerda depois que li a Ilha de Fernando Morais.

Responder

Rubens Mário em 30/12/2012 - 18h16 comentou:

O poema me faz lembrar Guerra e Paz, de Tolstói…

Responder

Victor Schmidt em 22/09/2013 - 16h34 comentou:

Comigo foi aos 16. Lendo você, o Mino e Marx (é, eu li O Capital aos 16).

Responder

alex em 09/11/2013 - 03h57 comentou:

Soy Esquerda, Nao Por Leitura .. Mas Pq Nasci Na Classe TrabalhadorA, Filho De MetalúrgicO E Sindicalista .. Periferia Muito Orgulhosos

Responder

    Plinio Santos em 15/12/2013 - 02h43 comentou:

    É isso: o pessoal da esquerda não lê.

Cláudio em 03/11/2014 - 08h11 comentou:

Eu sempre votava no PMDB achando que estava fazendo grande coisa. Comecei a votar em Lula (e nas esquerdas) a partir de 1989 até a atualidade mas o que me fez mudar mesmo de pensamento deve ter ocorrido na mesma época e foi a leitura de um poema de Vinicius de Moraes intitulado "O Operário em Construção":
"…E o operário disse: Não!

– Loucura! – gritou o patrão
Não vês o que te dou eu?
– Mentira! – disse o operário
Não podes dar-me o que é meu. "…

Responder

Luiz Neto em 28/04/2020 - 21h11 comentou:

A pessoa que opta em ser de esquerda é porque lhe falta duas coisas, ambas que vem com o tempo, que são INFORMAÇÃO e JUÍZO. Não é a toa que pessoas quando ficam mais velhas se tornam de direita, o que é muito raro ocorrer o contrário. A pessoa que se diz de esquerda e tão cega, tão cega… que não percebe que o fim da esquerda, o socialismo/comunismo, é um regime que lhe vai retirar o que você tem de mais caro, depois de sua saúde, que é a sua liberdade. E assim foi e é em todos países comunistas.

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Cultura

A noite em que Jean-Paul Sartre fumou um charuto com Che Guevara


Entre fevereiro e março de 1960, pouco mais de um ano após a revolução, o casal de filósofos franceses passou um mês em Cuba e se encantou com a juventude do novo governo

Cultura

70 anos depois, o que “1984” nos diz sobre o mundo de hoje?


De maneira similar à teletela do romance de Orwell, a TV gera no espectador conformismo com um sistema de consumo predatório