Socialista Morena
Vídeos

Reaça & Comuna de Halloween: por que as mulheres poderosas são xingadas de “bruxas”?

Sobre o petróleo nas praias, Cynara provoca: "Pessoal que passa pano, estão precisando de vocês para passar pano lá nas pedras, viu?"

Foto: Hanna Yahya/Poder360
Da Redação
24 de outubro de 2019, 17h10

Sempre aconteceu com as mulheres de esquerda e agora é a direitista Joice Hasselmann quem está sofrendo na pele ser xingada de “bruxa” pelos antigos aliados após se tornar desafeta dos filhos do presidente. No programa “Reaça & Comuna” da semana, perguntamos: por que as mulheres poderosas são xingadas de “bruxas” e os homens poderosos não?

“Eu acho incrível, porque você nunca vê os homens ser chamados disso. O Lula ser chamado de ‘bruxo’, o Temer ser chamado de ‘bruxo’, o Bolsonaro ser chamado de ‘bruxo’… Eles são chamados de burros, ladrões, cachaceiros… De burros eles não são chamados”, disse Cynara Menezes.

“Os homens são chamados de ‘bruxos’, sim, mas os ‘bruxos’ são coisas boas. Quando um homem é chamado de ‘bruxo’ é um mago, uma coisa positiva. O ‘bruxo’ masculino é um homem criativo, um inventor”, concordou Mario. Eles concordaram que infelizmente chamar mulheres poderosas de “bruxas” existe entre a direita e a esquerda.

A dupla também concordou quanto às críticas desnecessárias feitas a Bolsonaro pelas flexões em uma cerimônia da Polícia Rodoviária Federal. Para a comuna, a esquerda erra em atacar esse tipo de performance. “Eu acho que a esquerda se perde criticando uma coisa que para o público dele e para a maioria das pessoas é simpática. Então você vai ficar criticando que Bolsonaro fez flexão enquanto lá no Senado estão aprovando a reforma da Previdência? Ó, um pouco mais de foco”, disse Cynara. “A gente tem uma crítica meio elitista em relação ao Bolsonaro, meio parecida com as que faziam a Lula.”

“Eu acho que tem de saber criticar o presidente. Porque quando mistura a crítica errada com a crítica certa, beneficia ele”, reconheceu Mario. “Quando fazem uma crítica que não faz muito sentido, a uma coisa que as pessoas estão vendo como algo positivo, quando fizerem uma crítica que seja sobre algo que seja realmente negativo, as pessoas vão desconfiar da crítica.”

Ainda no programa, a contaminação das praias do Nordeste pelo petróleo e a inação do governo Bolsonaro diante do problema. “Não é culpa do governo, foi um incidente, essas coisas acontecem”, disse Mario. “O ministro do Meio Ambiente não trabalha. Era para ele ter tomado uma série de providências desde o princípio que não foram tomadas. Tanto é que o Ministério Público está acionando o governo federal por omissão. Você ainda vai passar pano? Passa pano nas pedras, para tirar o óleo! Lá tá precisando de gente para passar pano. Pessoal que passa pano, estão precisando de vocês nas praias do Nordeste, viu?”, rebateu Cynara.

Confira. Para assistir outros episódios, clique aqui.

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Vídeos

Encontro com Milton Santos (2006), de Silvio Tendler


Geógrafo brasileiro, homenageado com o doodle do google, apelidou a globalização de "globalitarismo"

Vídeos

“Reaça” de camiseta comunista e “comuna” de camiseta da CBF? As aparências enganam…


"O verde e amarelo não é só de vocês, não. É nosso também", disse a comuna