Socialista Morena
Cultura

Bolsonaristas transformam Monica em ladra e Mafalda em racista para defender Milei

Como Zé Gotinha, que apareceu com um fuzil nas mãos, modificaram uma charge de Nando Mota para transformar as duas meninas das HQs em criminosas

As versões criminosas de Monica e Mafalda feitas pelos bolsonaristas. Imagem: reprodução redes sociais
Cynara Menezes
21 de novembro de 2023, 12h30

Eles já tinham feito isso com o Zé Gotinha durante a pandemia, colocando um fuzil nas mãos do personagem utilizado há 37 anos pelo Ministério da Saúde para incentivar as crianças a se vacinarem. Agora são dois outros ícones infantis que estão sendo deformados pelos bolsonaristas para atingir a esquerda e defender Javier Milei, o ultradireitista bizarro eleito presidente da Argentina.

Uma charge feita pelo desenhista Nando Mota, do portal Brasil 247, com Mafalda, a célebre garotinha criada pelo argentino Quino, e Monica, a menina de vestido vermelho de Mauricio de Sousa, foi vandalizada por perfis bolsonaristas e está sendo compartilhada por nomes como o do ex-deputado cassado Deltan Dallagnol. Chama a atenção o viralatismo dos “patriotas”, a falta de consideração para com os próprios brasileiros ao nos retratar como ladrões.

Outra versão, ainda mais grotesca, mostra Mafalda chamando Monica de “macaca”, como se ela, que se notabilizou por ser uma criança pensante, com opiniões políticas fortes durante a ditadura militar argentina, fosse racista. Os eleitores de Javier Milei e de Jair Bolsonaro devem julgar os argentinos por eles mesmos…

A versão original do desenho foi feita por Nando Mota em 2019, quando Alberto Fernández ganhou a eleição na Argentina e Mafalda consolava Monica, com Bolsonaro no poder no Brasil: “Mejorará”.

Em 2020, Nando fez uma nova versão da charge com Monica consolando Mafalda pela morte de seu criador.

Esta última versão voltou a circular fortemente nas redes sociais brasileiras no último domingo, quando Milei ganhou a eleição para presidente da Argentina. Os bolsonaristas, então, “rebateram” com a alteração criminosa na charge, transformando a Monica em batedora de carteiras e Mafalda em racista.

“Estes vandalismos que estão fazendo com essa charge são de muito mau gosto, extremamente preconceituosos. É uma charge que fala sobre carinho, afeto, compaixão, e subverteram transformando em discurso de ódio”, lamenta o cartunista Nando Mota. “Essa que Dallagnol compartilhou reforça um estereótipo do brasileiro ‘bandido’, mas o que se pode esperar de um sujeito que não tem nenhum caráter?”

“É uma charge que fala sobre carinho, afeto, compaixão, e transformaram em discurso de ódio”, lamenta o cartunista Nando Mota. “Essa versão que Dallagnol compartilhou reforça um estereótipo do brasileiro ‘bandido’, mas o que se pode esperar de um sujeito que não tem nenhum caráter?”

Segundo Nando, não é a primeira vez que os bolsonaristas vandalizam as charges dele, que fazem muito sucesso nas redes sociais. O ex-presidente da Fundação Palmares, Sergio Camargo, alterou uma charge sobre a morte do menino João Pedro, de 14 anos, vítima de uma “bala perdida” disparada pela polícia do Rio enquanto brincava dentro de casa, em São Gonçalo, na Baixada Fluminense, em 2020. Na época, ele até pensou em processar, mas desistiu.

“Entrei em contato com alguns advogados e parece que não tem muito o que fazer, uma vez que cai nas redes. Por mais que a pessoa possa ser penalizada, o estrago já foi feito”, diz Nando. “Infelizmente não penso em fazer nada, só lamento. Eles não têm capacidade de criar suas próprias artes, suas próprias charges, e recorrem a este recurso de alterar as artes de outras pessoas.”

Será que com Mauricio de Sousa a Justiça será tão inepta? E o que dizem os defensores das crianças?


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta: 000591852026-7
PIX: [email protected]
(3) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Eugênio Bh em 23/11/2023 - 22h49 comentou:

… E la nave va…

Comunicação horrorosa do governo, o chefinho só pensa em causa própria , poder pelo poder no RS ou onde quer que seja.
Mídia pavorosa, como sempre, mas a tal “independente” repleta de chapabranquismo, festejos e elogios ridículos, omissões absurdas, palmas e mais palmas para agradar à platéia, que só deseja ser feliz, como diria o Gonzaguinha.
Os tais canais “progressistas”, cada vez mais se diglagiam, entre tolos, ingênuos e canalhas profissionais, barbichas rentes ou carecas totais. Ou ainda com bonés ridículos, moçoilas quase analfas e etc. e tal.
Espantoso como suportas!
O gado “de esquerda”, tão gado como todo gado, iletrado, estúpido e futebolista.
Não vai dar, assim não vai dar…
Saco nenhum pra me revoltar.
Toalha pronta prum retorno de um Bozo qualquer, 01, 02,03, 04…

Responder

Alcides Braga em 31/12/2023 - 18h36 comentou:

Entenderam mal. Na verdade ela está pondo a nota no bolso da Mafalda para dar uma ajudinha aos tempos que estão por vir para o trabalhador.

Responder

o luterano em 08/01/2024 - 18h47 comentou:

esses memes bolsonaristas são muito bons

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

As conexões entre o fornecedor de coletes a Braga Netto e a extrema direita


Preso por contratar mercenários para matar presidente do Haiti, venezuelano Tony Intriago integrava oposição em Miami aos governos Maduro e de Cuba

Politik

Dino debochado fez bolsonaristas se arrependerem do convite para ele ir à CCJ


Solto, sem marcação e com o apoio do craque Janones, o ministro da Justiça destruiu um a um os argumentos da extrema direita