Socialista Morena
Cultura

Homens associam comer hambúrgueres vegetais à perda de masculinidade, aponta estudo

O que faz um homem pensar assim? A conexão com os homens das cavernas? Ou é a publicidade que os induz a achar que carne é sinônimo de macheza?

Homem com testículos de boi na boca. Foto: Collin Brown/Wikimedia Commons
Da Redação
10 de março de 2022, 20h48

Um estudo recente feito por pesquisadores australianos apontou que homens se recusam a trocar hambúrgueres de carne por hambúrgueres a base de plantas por uma razão bizarra: porque acham que isso afetaria sua masculinidade. A pesquisa foi feita com 36 homens entre 18 e 40 anos que foram a um restaurante vegano em Sidney experimentar versões vegetais dos sanduíches. A maioria deles declarou que passar a comer hambúrgueres veganos ou vegetarianos os faria parecer “menos homens” diante dos amigos.

“Não quero terminar comendo um hambúrguer vegetal com meus amigos rindo de mim”, disse um. Outro entrevistado afirmou que passar a comer apenas hambúrgueres vegetarianos “arruinaria sua reputação como homem”. “Eu sentiria que estaria sacrificando minha masculinidade” ao trocar o sanduíche de carne por um vegetal, disse um terceiro. “A situação é pior quando você é meio que forçado a fazer isso porque todo mundo está fazendo.”

Um dos entrevistados disse: “Não quero terminar comendo um hambúrguer vegetal com meus amigos rindo de mim”. Outro afirmou que isso “arruinaria sua reputação como homem”. “Eu sentiria que estaria sacrificando minha masculinidade”, disse um terceiro

Em artigo publicado no site The Conversation, os autores do estudo reuniram as duas descobertas mais importantes: a primeira é que os homens acham que um menu baseado exclusivamente em vegetais “limitaria seu direito de escolha”; e a segunda é que os homens fazem suas refeições pensando também em impressionar amigos e as namoradas. Eles apontam um estudo anterior que mostrou esta última associação: homens tendem a comer pratos maiores e pouco saudáveis “para impressionar” os outros.

Alguém pode dizer que o estudo é prejudicado pela amostra pequena, mas ele não é o primeiro a mostrar que muitos homens associam comer carne a ser “mais macho”. Em 2012, uma pesquisa publicada no Jornal of Consumer Research com 569 homens e mulheres mostrou resultado similar ao apontar comidas que ambos consideram “mais masculinas” e “mais femininas”. A carne de boi e de porco, assim como o hambúrguer animal, está no topo das comidas “mais masculinas”, enquanto entre as “mais femininas” aparecem leite, salada e sushi.

Em 2021, um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Lethbridge, no Canadá, com 300 participantes, apontou que homens que comem muita carne o fazem por estar inseguros da própria masculinidade. Ou seja, homens que sofrem de “estresse de masculinidade”, ou insegurança de sua “macheza”, a compensariam comendo mais carne vermelha porque ela é percebida pela sociedade como “mais masculina”.

Em 2012, uma pesquisa com 569 homens e mulheres apontou comidas que ambos consideram “mais masculinas” e “mais femininas”. Carne de boi e de porco, assim como o hambúrguer animal, está no topo da lista das comidas “mais masculinas”, enquanto entre as “mais femininas” aparecem leite, salada e sushi

“Nossos resultados sugerem que a preocupação dos homens com a masculinidade os leva a tentar aumentá-la através da comida”, disse a coordenadora da pesquisa, Rhiannon MacDonnell Mesler. “Também indicam que muitos abraçam a ideia de que é preciso ser ‘homem o bastante’; mudar essa concepção poderia reduzir a mentalidade de que é possível ‘restaurar a masculinidade’ através do consumo de carne vermelha.”

O que faz um homem pensar assim? A conexão com os homens das cavernas? Sem dúvida contribuiu para este fenômeno as incontáveis peças de propaganda que associam comer carne ou assar churrasco à macheza. Um exemplo clássico é o famigerado anúncio da rede de fast food Burger King de 2009 que mostrava uma mulher de boca aberta diante de um sanduíche com formato fálico e os dizeres: “Isto vai explodir sua mente”. Em inglês, a palavra “blow” também é utilizada para sexo oral, como em “blow job” (boquete).

O anúncio machista do Burger King

No ano passado, outro estudo, da Universidade da Califórnia, também mostrou que os homens comem carne para se sentirem mais machos. Foram ouvidos 1706 adultos entre 18 e 88 anos para concluir que quanto mais os homens aderem a noções tradicionais sobre masculinidade, mais comem carne vermelha. “A pesquisa sugere que mudar as percepções dos homens sobre papéis de gênero poderia levar à redução do consumo de carne”, disse um dos coordenadores da pesquisa, o pesquisador Daniel Rosenfeld.

De acordo com as estatísticas, os homens comem mais carne vermelha do que as mulheres, que preferem frango. E as mulheres tendem mais a abrir mão de proteína animal do que os homens: cerca de 80% dos veganos e vegetarianos são mulheres. É de se pensar como é frágil a masculinidade dos heterossexuais para depender do que comem para se sentirem “homens”…

Mas cuidado: um experimento exibido no documentário The Game Changers, da Netflix, mostrou que uma refeição sem carne pode, ao contrário da crença, prolongar a ereção. Três lutadores receberam dos pesquisadores um anel para colocar na base do pênis e, na primeira noite, comeram um burrito de carne; na segunda, um burrito vegetariano. O resultado: todos eles tiveram uma ereção mais prolongada após comer o burrito sem proteína animal. Para um deles, a ereção durou 447% a mais com a refeição a base de vegetais!

Coincidência? Pode ser. Mas sabem quem aparece no documentário fazendo uma espécie de mea culpa por ter participado de anúncios que linkavam o consumo de carne à masculinidade? Ele mesmo, Mr. Universo em pessoa, Arnold Schwarzenegger, que foi das Forças Armadas da Áustria e começou a carreira como fisiculturista antes de se tornar ator e político.

“Eu comi um monte de carne. Eles exibem estes comerciais –hambúrgueres, George Foreman com seu grill–, isso é um grande marketing para a indústria da carne, vendendo a ideia de que homens de verdade comem carne. Mas você tem que entender, isso é marketing, não está baseado na realidade”, diz Schwarzenegger.

“À medida que fui ficando mais velho e li a respeito, vi que não é preciso obter de animais a proteína de que necessitamos. Então comecei a ir mais na direção de uma alimentação vegetariana.” O ator disse que há cinco anos está numa dieta 80% vegana, quebrada apenas ocasionalmente por um bife ou uma milanesa, e que com isso conseguiu reduzir seu colesterol ruim e se sentir mais jovem e saudável.

“Eu comi um monte de carne. eles mostram estes comerciais vendendo a ideia de que homens de verdade comem carne. mas entenda: isso é só marketing, não está baseado na realidade”, diz o ator Arnold Schwarzenegger, que está há 5 anos praticamente sem carne

O mito de que a carne faz os homens mais machos é rebatido no filme com descobertas históricas, como a alimentação dos gladiadores romanos, que seria “predominantemente vegetariana”, segundo dizem pesquisadores ouvidos no filme. A própria justificativa de que comemos carne porque “temos caninos” e isso é uma tradição que vem desde a época dos homens das cavernas também vem sendo rebatida ao longo dos anos.

Um estudo espanhol de 2014 a partir dos dentes do Homem de Neanderthal chegou à conclusão de que eles não eram, como se imaginava, 100% carnívoros e que se alimentavam também de vegetais. Outros pesquisadores apontaram que não era possível ter toda essa caça ao longo do ano em todos os lugares. Então, nas temporadas de escassez, nossos ancestrais recorriam a plantas, geralmente tubérculos, raízes e até mesmo grãos.

Ninguém está dizendo com isso que todo mundo devia parar de comer carne e adotar uma alimentação vegana ou vegetariana. Mas talvez algum dia os homens descubram que “evolução” também seja sinônimo de parar de acreditar em conceitos sobre masculinidade do tempo das cavernas.

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
Nenhum comentário Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Trabalho

Reforma da Previdência é, além de tudo, machista (como tudo que vem de Temer)


Não bastasse atingir em cheio os mais pobres, a reforma da Previdência de Temer é uma proposta machista que aprofundará ainda mais o fosso entre homens e mulheres no mercado de trabalho

Politik

O estranho fenômeno do galã cada vez mais velho e suas parceiras cada vez…


Faz alguns meses, vi um levantamento no site norte-americano Vulture sobre os galãs de Hollywood que estão chegando aos 70 anos, mas seus pares românticos nas telas nunca superam os 40 (veja aqui). Fiquei curiosa…