Socialista Morena
Trabalho

Não é só ataque à imprensa: Bolsonaro comete assédio moral contra jornalistas

O presidente negacionista é um assediador moral de trabalhadores ocupando o cargo máximo do país; cadê o MPT?

Bolsonaro em coletiva após ser eleito em 2018. Foto: José Cruz /Agência Brasil
Cynara Menezes
28 de junho de 2021, 16h19

Imaginem um superior hierárquico dizer a um trabalhador, em pleno ambiente de trabalho: “Você tem uma cara de homossexual terrível”. Ou: “Pare de fazer pergunta idiota! Nasça de novo!” E ainda: “Cala a boca! Vocês são uma porcaria!” Imaginem um superior hierárquico divulgando a foto de uma trabalhadora e incitando ataques contra ela nas redes sociais. Ou fazendo insinuações de cunho sexual contra outra. O que aconteceria com ele?

Há um ponto para o qual ninguém atentou ainda nas sucessivas tentativas de intimidação de Jair Bolsonaro a jornalistas, sobretudo mulheres. Além do óbvio ataque à liberdade de imprensa vetado pela Constituição, o presidente negacionista comete assédio moral, ao humilhar e constranger trabalhadores em pleno exercício da profissão.

O assédio moral acontece quando um superior hierárquico utiliza sua função de forma intimidatória, expondo um trabalhador ou trabalhadora a situações vexatórias e depreciativas, de forma repetitiva. O assediador moral se comporta desta maneira durante a jornada de trabalho, quando a vítima está no exercício de suas funções.

No ano 2000, a psiquiatra francesa Marie-France Hirigoyen ampliou o conceito de assédio moral no local de trabalho para além da relação chefe-subordinado. “Por assédio moral em um local de trabalho temos que entender toda e qualquer conduta abusiva manifestando-se sobretudo por comportamentos, palavras, atos, gestos, escritos que possam trazer dano à personalidade, à dignidade, ou à integridade física ou psíquica de uma pessoa, pôr em perigo seu emprego ou degradar o ambiente de trabalho”, publicou, no livro Assédio Moral: a violência perversa do cotidiano.

Como presidente, Bolsonaro é o líder máximo da nação. A rigor, qualquer brasileiro está em posição hierarquicamente abaixo dele. Quando ataca repórteres que estão cumprindo suas funções no ambiente de trabalho, logicamente está assediando moralmente estes trabalhadores

Ora, como presidente da República, Bolsonaro é o líder máximo da nação. A rigor, qualquer brasileiro está em posição hierarquicamente abaixo dele, inclusive jornalistas. Quando o presidente ataca repórteres que lhe fazem perguntas, ou seja, que estão no ambiente de trabalho cumprindo suas funções, logicamente está assediando moralmente estes trabalhadores.

Cabe ao MPT (Ministério Público do Trabalho) acioná-lo por cometer assédio moral no exercício do cargo. Os jornalistas atingidos também podem entrar na Justiça do Trabalho com um processo contra ele por terem sido assediados moralmente. Assediadores não podem ficar impunes –ainda mais quando o assédio assume níveis estratosféricos, praticado pelo ocupante do cargo mais alto do país.

 


Apoie o site

Se você não tem uma conta no PayPal, não há necessidade de se inscrever para assinar, você pode usar apenas qualquer cartão de crédito ou débito

Ou você pode ser um patrocinador com uma única contribuição:

Para quem prefere fazer depósito em conta:

Cynara Moreira Menezes
Caixa Econômica Federal
Agência: 3310
Conta Corrente: 23023-7
(2) comentários Escrever comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da Socialista Morena. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

Bernardo Santos Melo em 29/06/2021 - 10h16 comentou:

A verdade é que Marielle enlouqueceu GENÔ ,
e vai piorar , a namorada do Pai Zueira vai abrir novas falcatruas .
Não há mais o que esperar , chegou a hora de botar a cangalha no monstro , encher às ruas e gritar GENÔ FORA , chega de FAMILÍCIA, basta de hipocrisia , 505 mil mortes cloroquinadas-ivermectinadas e o Brasil amordaçado .
Renuncie Genô , saia logo , não aguentamos teu negocionismo vacinal aliado a CORRUPÇÃO generalizada .

Responder

Luis Carlos Kerber em 30/06/2021 - 20h39 comentou:

O GENÔ vai se agarrar ao poder de todas as formas possíveis, pois para o miliciano Bozo não há mais saída possível, todos os caminhos levam para uma condenação do GENÔ num tribunal internacional. E quando o GENÔ sair do poder a penitenciária será o destino dos seus filhotes, todos milicianos e corruptos.

Responder

Deixe uma resposta

 


Mais publicações

Politik

Como seria o Brasil de Bolsonaro (de acordo com suas próprias palavras)


Um exercício futurístico sobre o destino que nos reserva se o candidato de extrema-direita for eleito no próximo domingo

Politik

10 vezes em que Bolsonaro fez o Brasil passar vergonha no mundo (e foi…


Acusar o ator Leonardo DiCaprio pelas queimadas foi só mais um dos episódios que causaram embaraço ao país lá fora